Gestão

4 dicas de gestão financeira para clínicas médicas

outubro 19, 2017
Tempo de leitura 3 min

A gestão financeira para clínicas é um fator de suma importância para manter o equilíbrio das contas da Organização. A análise das suas finanças te possibilita identificar problemas que estejam impedindo que o negócio alcance a lucratividade desejada e encontre soluções para neutralizá-los.

Assim como qualquer outro negócio, a clínica também precisa ter um controle minucioso sobre o dinheiro que entra e sai do seu caixa. Suponhamos que a empresa esteja gastando muito papel para impressões desnecessárias.

A princípio isso pode parecer uma bobagem, mas se esse gasto for colocado na ponta do lápis você perceberá que está jogando dinheiro fora, quando poderia utilizá-lo para investir em melhorias para os pacientes.

Confira abaixo como você pode melhorar a gestão financeira da sua clínica para evitar o desperdício dos seus recursos:

1. Faça o fluxo de caixa

Uma boa gestão financeira para clínicas começa com o monitoramento do fluxo de caixa. É preciso anotar todos os gastos da empresa — não ignore nem mesmo os menores. Alguns dos principais são:

  • pagamento dos funcionários;

  • aluguel de salas;

  • compra de materiais;

  • manutenção de equipamentos;

  • limpeza e serviços em geral.

O registro do fluxo de caixa deve ser o mais detalhado possível. Assim, você terá mais informações e embasamento para elaborar planejamentos sobre investimentos, corte de gastos, demissões ou contratações que podem ser realizados pela clínica.

2. Separe as contas pessoais e da clínica

Separar as suas contas pessoais das finanças da clínica é uma regra essencial para que o negócio seja bem-sucedido. Já pensou o que pode acontecer se você fizer retiradas do caixa da empresa para pagar as suas despesas pessoais e em seguida notar que está faltando dinheiro para bancar o salário dos seus funcionários? No mínimo, você vai ter uma grande dor de cabeça para resolver.

Então, para não passar por esses problemas, que podem comprometer o bom desempenho do negócio, estabeleça métodos que te ajudem a manter a disciplina na hora de separar os seus gastos do orçamento mensal do empreendimento.

3. Crie um fundo de reserva

A sua clínica não faturou o mesmo valor dos meses passados ou surgiu um imprevisto e você teve que gastar um dinheiro inesperado? Isso vai causar um impacto negativo nas suas finanças. Para não enfrentar transtornos, como não conseguir fazer o pagamento dos seus colaboradores ou dos fornecedores em dia, é recomendado que a empresa crie um fundo de reserva e use-o apenas em caso de emergência.

4. Contrate ajuda especializada em gestão financeira para empresas

O profissional de saúde dono de clínica deve estar a par da situação financeira do seu negócio, mas ele não pode fazer isso em tempo integral, visto que tem outras responsabilidades a serem cumpridas. Por isso, o ideal é contratar uma ajuda especializada em gestão financeira para clínica.

Assim você conta com o auxílio de profissionais qualificados que organizarão o fluxo diário do negócio, além de criar planos estratégicos mais apropriados para melhorar o aproveitamento dos seus recursos. Dessa maneira, o proprietário trabalha tranquilamente, sem deixar de acompanhar os principais indicadores financeiros da empresa.

A gestão financeira para clínicas é indispensável, pois dela depende a saúde do seu negócio. Lembre-se que para que esse processo seja bem-sucedido, é necessário colocá-lo em prática de forma cautelosa, contando com a ajuda de profissionais competentes.

Se você gostou das dicas e quer melhorar a administração do seu negócio, veja também 4 dicas para evitar problemas na gestão de clínicas e hospitais!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário