Gestão

Conheça os 4 erros mais comuns na administração de clínicas

setembro 12, 2017
Tempo de leitura 3 min

É comum que os médicos queiram administrar seu próprio negócio, tendo uma clínica ou consultório e assim aumentar a sua lucratividade e garantir uma estabilidade financeira, além de ter mais autonomia e segurança no trabalho.

A administração de clínicas, no entanto, não é algo muito trabalhado nas faculdades de medicina e, por isso, muitos médicos têm pouca noção sobre como tocar os seus negócios.

Para ajudá-lo, dentro desse contexto, elaboramos uma lista com os 4 erros mais comuns na administração de clínicas, dando dicas de como superá-los. Quer saber quais são eles? Então continue lendo e confira!

1. Prestar um atendimento ruim ao paciente

Por mais que você entenda sobre a importância do atendimento humanizado e faça isso com maestria, precisa garantir que todos os colaboradores da clínica como secretárias, recepcionistas, técnicos de enfermagem, entre outros, também prestem um bom atendimento aos pacientes.

Um paciente que não é bem atendido, ou que é mal tratado por alguém na clínica, certamente não voltará ao estabelecimento, além de poder falar mal do local para outras pessoas. Investir no treinamento e capacitação dos colaboradores, portanto, é fundamental.

2. Não ter um controle com as despesas

Outro erro comum de ser cometido pelos médicos na gestão de clínicas é a falta de controle com as despesas do estabelecimento. É indicado, para isso, que seja feito um bom fluxo de caixa, controlando as entradas e saídas do setor financeiro.

Além disso, categorizar as despesas em fixas e variáveis também contribui para um maior controle das despesas. Você pode, por exemplo, verificar quanto é gasto com a folha de pagamento dos colaboradores, quanto é gasto mensalmente com manutenção de equipamentos, etc.

Ainda no que se refere ao controle de despesas, é preciso ter ciência da importância de não pegar dinheiro do caixa da clínica para pagar despesas pessoais, pois isso pode dificultar o controle das finanças do estabelecimento. Recomenda-se, portanto, que o médico proprietário da clínica defina um salário mensal para os seus gastos pessoais e o restante do dinheiro não saia do fluxo de caixa para essa finalidade.

3. Não se atualizar tecnologicamente

Vivemos em plena era digital e as pessoas já percebem isso como uma necessidade e não mais como um diferencial. Por isso, é importante que as clínicas médicas e seus gestores invistam nesse tipo de ferramenta.

A clínica ou consultório pode ter um software de gestão com funcionalidades diversas como o prontuário eletrônico e cadastro atualizado dos pacientes, formas de se comunicar com os pacientes, como o envio automático de mensagens via SMS para confirmar consultas, etc.

4. Não investir em marketing

Existe um velho ditado que diz que “quem não é visto não é lembrado”. Por esse motivo, para que o seu consultório ou clínica se destaque em sua região, é necessário investir em marketing.

Você pode anunciar os seus serviços na mídia local da sua cidade como em jornais, portais de notícias e rádios. Além disso, também pode investir em marketing digital, com estratégias nas mídias sociais ou de marketing de conteúdo.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a administração de clínicas, que tal assinar a nossa newsletter e receber mais informações como essa no seu e-mail?

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário