Gestão

7 dicas de como colocar o diagnóstico organizacional em prática

janeiro 8, 2019
diagnóstico organizacional
Tempo de leitura 7 min

Cada dia mais a competitividade aumenta no ambiente empresarial: são diversas empresas que surgem todos os dias, buscando atender as brechas do mercado. Assim, para se manter vivo, é importante ser impecável: toda e qualquer falha pode prejudicar drasticamente seus resultados.

Nesse contexto, o diagnóstico organizacional cumpre um papel estratégico dentro das organizações. Mas o que é esse conceito? Qual sua importância? Como realizar um diagnóstico eficiente? Continue lendo e tire suas dúvidas sobre o assunto.

O que é o diagnóstico organizacional?

diagnóstico organizacional diz respeito a uma série de ações e análises realizadas no ambiente empresarial, com o objetivo de auxiliar os gestores a conseguirem realizar uma avaliação consistente e profunda da empresa, com o objetivo de detectar pontos fortes e fracos.

A ideia é identificar pontos que possam representar problemas em curto, médio e longo prazos e minimizá-los, bem como saber quais são os pontos fortes do negócio e potencializá-los, aumentando a produtividade. (Quer saber mais sobre como melhorar a produtividade de sua empresa? Clique aqui!)

Qual a sua importância para o negócio?

O próprio objetivo principal do diagnóstico organizacional já demonstra consideravelmente sua importância: é saber explorar todo o potencial de sua atividade empresarial e reduzir os riscos de erros e falhas que possam comprometer os resultados da sua empresa.

É uma forma de antever situações antes que elas de fato ocorram. Por exemplo, se uma possível crise está começando a se armar, é por meio do diagnóstico organizacional que você identifica seus primeiros sinais e pode reverter o quadro antes que ele se instale.

Além disso, é uma possibilidade de descobrir aquilo que a sua empresa faz de melhor e saber explorar esse ponto adequadamente, com o objetivo de conseguir potencializar os efeitos por períodos maiores.

Por meio dessa ação é possível realizar um mapeamento de oportunidades e de melhorias, permitindo tomar decisões embasadas. Por exemplo, se a organização deseja lançar um novo produto, mas está passando por alguns contratempos internos, pode-se evitar problemas que viriam a gerar prejuízos e inviabilizar o seu projeto.

Você também passa a entender melhor a realidade do seu negócio, sabendo a real situação atual e traçando projetos e planos de ação para maximizar as oportunidades e minimizar pontos de risco. Além disso, essa compreensão é fundamental para uma gestão integrada e eficiente da organização.

O diagnóstico organizacional também é útil para detectar as características da cultura organizacional, verificando se há, de fato, um alinhamento dos colaboradores com a missão, visão e valores do empreendimento. Lembre-se que esse é um fator preponderante para estimular a motivação e engajamento dos usuários, melhorando o clima organizacional.

Como colocá-lo em prática?

Todos esses pontos só funcionam adequadamente se você souber como realizar um diagnóstico organizacional eficiente. Caso contrário, o resultado poderá não condizer com a realidade empresarial e levar a problemas futuros na instituição, mesmo com a efetivação da avaliação.

Veja 7 dicas de como levar a bom termo a aplicação do diagnóstico.

1. Obtenha e analise as informações

Para obter as informações, você deve definir o que será perguntado, identificando fatores que condizem com a realidade do seu negócio, e os relacionado às atividades específicas consumadas no ambiente interno. Não deixe de avaliar todas as áreas, a fim de verificar todos os pontos essenciais e estratégicos de funcionamento da sua empresa.

Para levantar as informações que respondam às perguntas fundamentais estabelecidas anteriormente, você pode valer-se de algumas ferramentas, tais como:

  • entrevista com colaboradores;
  • analisar documentos, dados e relatórios;
  • estudar processos internos, acompanhando-os na prática;
  • comparar os itens anteriores com planos de ação e plano de negócios;
  • Realizar benchmarkings para avaliar boas práticas presentes no mercado.

O importante é que isso seja feito de forma consistente para  conseguir as respostas o mais completas e objetivas possível. Lembre-se de ter distanciamento e executar uma análise neutra das informações.

2. Identifique os problemas

Analisou os resultados obtidos na fase anterior? Então identifique quais foram os problemas encontrados com os dados gerados. É importante, neste momento, estabelecer uma ordem hierárquica, que possibilite  definir o que é prioridade de se atuar e o que pode aguardar um pouco mais de tempo,  e ter uma maior atenção por parte dos seus gestores.

Alguns problemas podem ser mais graves e, portanto, gerarem a necessidade de serem reparados o quanto antes, minimizando as chances de algum tipo de prejuízo grave diante da situação. Também é essencial para saber quais devem ser as ações de mudanças e o grau de envolvimento que os diversos departamentos devem ter com a questão.

3. Defina as estratégias

Como os problemas serão solucionados? Quais serão as ações traçadas para resolver as questões, prevenir  os riscos mapeados ou para potencializar os pontos positivos? É importante que isso seja feito de forma racional, estratégica e integrando todos os setores envolvidos direta e indiretamente.

Isso porque uma medida mal implantada pode piorar a situação, aumentando a gravidade da situação. Planeje adequadamente as ações e esclareça-as corretamente para seus gestores, de modo  que não ocorram mal-entendimentos no processo.

4. Considere as macro áreas de gestão

Todas as etapas anteriores devem levar em consideração as 5 áreas principais de gestão, suas necessidades, prioridades e seu envolvimento com as demais. São elas:

  • estratégia;
  • finanças;
  • marketing;
  • recursos humanos;
  • operações.

As necessidades do marketing, por exemplo, são diferentes das geradas pelo setor de finanças, sendo necessário separar os processos, bem como identificar quais ações cabem melhor para cada um deles.

Ações generalistas não consideram essas peculiaridades e podem ocasionar transtornos futuramente.

5. Realize o diagnóstico periodicamente

A ação de análise, avaliação e realização de um plano de ação deve ser feita periodicamente, com o objetivo de manter-se sempre atualizado e atento a tudo que está acontecendo dentro do ambiente da sua organização, evitando problemas que surjam e não sejam devidamente identificados a tempo.

6. Utilize as tecnologias corretas

As tecnologias disponíveis no mercado podem ser aliadas para o diagnóstico organizacional. Por exemplo, os sistemas ERP oferecem dados importantes dos mais diferentes setores, inclusive, possibilitando o cruzamento das informações.

Assim você consegue comparar com levantamentos anteriores; pode verificar se há algum tipo de discrepância; identificar em qual ponto do processo ocorre a falha; e melhorar a eficiência do processo de avaliação.

7. Conte com uma empresa especializada

Consultores especializados em diagnóstico organizacional podem ser importantes aliados nesse processo. Um olhar objetivo e isento é essencial para conseguir encontrar, até mesmo, pequenas falhas que passem despercebidas pelos gestores, cujas atividades voltadas para o diagnóstico muitas vezes conflitam com demandas do dia-a-dia da empresa. 

Por isso, conte com a ajuda dos profissionais de consultorias, que além da identificação, possuem a experiência necessária para sugerir planos de ação eficientes capazes de maximizar os resultados da sua corporação, bem como estão dedicados integralmente à realização do diagnóstico e à atuação nos pontos considerados críticos.

O diagnóstico organizacional é fundamental para tornar a sua atividade comercial  mais competitiva e funcional, conseguindo melhorar resultados em longo prazo, ser ainda mais estratégica, e consolidando vantagem competitiva diante dos seus concorrentes.

Para isso, conte com a Ação Consultoria. Nossos profissionais realizarão o processo de diagnóstico e oferecerão soluções personalizadas, de acordo com as necessidades do seu negócio. Então, entre em contato conosco e tire suas dúvidas sobre este processo com nossos consultores.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário